Tuesday, December 6, 2011

Sentir-te para me sentir...



Sentir-te para me sentir…
Aproximei o meu ser do alpendre:
Do alpendre do nosso jardim
Onde senti um desejo:
Um desejo único e sem fim
Um almejo belo e sensacional
E quando te vi: bela musa assim exposta: senti algo especial
Senti a vontade de sempre te tocar
E de ti me abeirei, qual guerreiro na guerra a batalhar
De ti me aproximei e o teu ombro de alva cor toquei
Toquei, da forma que sempre gostaste
Com a ponta dos dedos: os mesmos que sempre desejaste:
Que te quisessem tactear, envolver, abraçar
De ti me apartei e os teus lábios conquistei
Conquistei como quem conquista uma grei
Os teus lábios de cárnea cor
Repletos de brilho, dotados de imenso esplendor
A ti: ó doce deusa da minha vida humana
A ti: que jamais condenas a essência de quem profana
De quem profana e tende a querer um sentimento viver
De forma intensa, de forma atroz, de forma veloz
Para nunca, para não mais ficares só
Só tenderás a não ficar, porque aqui estou para te sublimar
Sublimar e para todo o sempre te amar
Envolvo-te com os meus braços, aqueles que sempre queres de ti aproximar
Nos momentos de dor, de tristeza, de perdas: sempre que a mágoa de ti se apoderar
Assim estamos: abraçados a ver as cores do que nos envolve
Do que nos rodeia, do que nos ladeia
Algo com cores de exaltação
Por saber da nossa infindável intenção
De sempre este sentimento querer perpetuar
Um sentimento chamado paixão
Arrebatador de coração
Paixão: sentimento bom, sempre a imergir
Que me faz sempre querer sentir-te para a mim me poder sentir…
João Paulo S. Félix

1 comment:

Júlio Machado said...

Olá meu camarada virtual. Cheguei até aqui ao buscar uma imagem pro meu haicai. (imagem de fogo)
Vou pôr os devidos créditos, apud, lá no meu blog.
Parabéns pelo blog. pelo pouco que vi deu para perceber que você é mais um transmutável sonhador; um incondicional romântico.
Abraços! ( Desde já sigo-te)